Baú de Memórias

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

A Instalação da Comarca na Imprensa

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

A Instalação da Comarca na Imprensa

Transcrição fiel do noticiário dos semanários de Pederneiras relatando as festas da Instalação da Comarca em 26 de Abril de 1928. (Ortografia da época)
Jornal “Comarca de Pederneiras” de propriedade dos editores e responsáveis Silva & Comp., redator chefe Dr. Ubirajara de Oliveira, do dia 8 de Maio de 1928, Ano II, Número 64:

A Festa da Comarca

No dia 26 de abril p. findo realizaram-se as festas da instalação da comarca. As ruas da cidade, enfeitadas com elegância, sob a direção do Sr. João Silva, vestiram-se de gala.
A alvorada desse dia despertou ao som de 21 baterias, tendo percorrido as ruas a bem animada banda musical de Bocayuva e as locaes.
As 10 ½ horas chegou o sr. Secretário da Justiça, que foi esperado pelo elemento official, força publica, linha de tiro, escoteiros de ambos os sexos, bandas de musica e grande massa popular. Depois de ter recebido o voto de bôas vindas S. Excia. Foi ao Largo da Matriz assistir a entrega da bandeira nacional, oferta popular, aos soldados da linha de tiro 77 da U.M.C.*
O largo apresentava um aspecto admiravelmente solemne. As escadarias da igreja ostentavam-se apinhadas de senhoras, senhoritas e cavalheiros.
Ao lado notava-se garbosamente uma secção da força publica; de outro lado, viam-se escoteiros e bandas de musica.
Após a benção do estandarte pelo Rev. Cura da Parochia, o dr. Ubirajara de Oliveira, em nome da commissão que angariou donativo para acquisição do nosso vexillo, proferiu rápido discurso offerecendo o pendão auri-verde aos soldados. Em nome destes agradeceu o atirador Paulo Telles. Paranympharam o ato a galante senhorinha Sebastiana de Godoy e o sr. Lucidio Coelho.
Esta parte do programa foi a mais viva e palpitante, deixando entre todos uma impressão elegante.
Findo esse acto o sr. Secretario da Justiça dirigiu-se ao Castello Furlani, onde almoçou.
Ás 14 horas houve a installação solemne da comarca, orando brilhantemente os srs. Salles Junior, Secretario da Justiça, José Augusto de Lima, Juiz de Direito e Hilário Freire, Deputado Estadoal.
Em seguida foi inaugurado na sala da directoria do grupo escolar o retrato do Presidente Julio Prestes, tendo orado o sr. Prof. Mont Serrat, que foi muito aplaudido.
Acabada esta homenagem foi inaugurada a rua Hilário Freire, sendo a placa descoberta pelo Secretario da Justiça. Falou em nome da municipalidade o nosso redactor-chefe dr. Ubirajara de Oliveira, tendo o dr. Hilário Freire agradecido.
Em seguida foi collocada a primeira pedra do edifício destinado a U.M.C., orando, a propósito, o dr. Saldanha Junior.
Em continuação, um grupo de soldados da força publica fez vários exercícios que muito agradaram.
Ás 18 horas a banda municipal deliciou os habitues do jardim exhibindo um optimo programma.
Á noitinha o dr. Secretario seguido de sua comitiva e convidados, foi jantar no Castello Furlani, onde pernoitou.
Ás 20 horas na Câmara Municipal e na Sociedade Italiana houve animados saraus dançantes.
No dia seguinte as 7 ½ horas o sr. Dr. Salles Junior partiu de trem especial com destino a Piratininga.
Ao encerrar esta nota sobre as diversas festividades cumpre salientar a pessoa do sr. Pedro Jacintho, colletor estadoal, que amavelmente procurou com o presidente dos festejos populares todos os meios para obsequiar o povo, sendo que seus auxiliares srs. Francisco Pellegrinelli, Domingos de Biase e Affonso Ruiz muito contribuíram para o bom êxito da festa.

* U.M.C.: União de Moços Católicos.
-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-

A COMARCA

O jornal “A Phantasia” fundado em 1925, alterado para “A COMARCA” em 1928 para homenagear a nova comarca que se instalava. Seu diretor proprietário era Antonio Moreno e os redatores Srs. Dr. Ubirajara de Oliveira e Delio de Carvalho.
Transcrição fiel da Edição de 6 de Maio de 1928, Ano I, Número 18:

A Festa da Comarca

Com a installação da sua comarca, no dia 26 de Abril findo, Pederneiras escreveu mais uma página na história do seu progresso. Rasgou mais uma estrada no porvir de sua operosidade. E marcou mais um tento com esta conquista político-social.
Com a sua autonomia judiciária, Pederneiras recebe em seu seio social um salutar oxigênio de vida nova, com a acquisição valiosa da nova gente que veio formar o seu novel apparelho de justiça.
O que foram as festas que solemnisaram esse dia grande para nós, dizem não só o nosso povo como também os nossos convidados e os grandes jornaes que nos captivaram com suas representações a todos actos festivos.
Na véspera desse dia já se notava um desusado movimento na cidade, com a presença de duas secções da Força Pública, uma da Banda de Música e outra do Grupo Escolar que aqui chegaram à tarde. Da estação ao Grupo Escolar, onde ficaram alojados, os disciplinados militares marcharam garbosos ao som de um bem executado dobrado.

A Alvorada
O romper da aurora do dia 26 foi annunciado por um morteiro de 21 tiros e uma grandiosa alvorada executada pelas bandas de música que aqui vieram emprestar o seu concurso aos festejos, juntamente com as bandas Municipal e dos Escoteiros.

A chegada do Dr. Secretário da Justiça

Pouco depois das 10 horas, o imponente préstito que fora organisado na Praça do Jardim e que era composto do Grupo Escolar com os seus corpos docente e discente; do Grupo de Escoteiros; da Linha de Tiro da União dos Moços Catholicos com a sua directoria; das Sociedades Italiana, Hespanhola, Syria e Centro Operário; e grande massa de povo, já se achava formado em duas alas desde a porta da estação da Paulista. Ao entrar na plataforma dessa estação o trem que conduzia S. Excia. e comitiva, foi ouvida uma salva de palmas que partia da commissão de recepção e que era acompanhada pelas muitas pessoas que ahi se encontravam. Ao desembarcar, foi S. Excia. cumprimentado pelo sr. Prefeito Municipal, em nome da cidade, e pelos demais membros da commissão de recepção.

O Desfile até a Praça do Jardim

Organisado o préstito para o desfile à Praça do Jardim, obedeceu este a seguinte ordem: Banda de Musica Militar; Companhia de Guerra do 4º. Batalhão aquartelado em Bauru; secção do Grupo Escolar; automóvel conduzindo o Dr. Secretário da Justiça e o Sr. Prefeito Municipal; outros automóveis conduzindo representantes do Congresso Estadual; dos Secretários de Estado; do Dr. Chefe de Polícia e de outras autoridades; da commissão de recepção e de autoridades policiaes; Linha de Tiro; Grupo de Escoteiros com a sua banda de música; banda Municipal; Sociedades e povo.

Entrega da Bandeira à Linha de Tiro

Na Praça do Jardim o préstito transformou-se para se dar lugar a entrega da bandeira que uma commissão chefiada pelo Sr. Alfredo Mendes da Rosa, vice-prefeito Municipal, adquirira com o concurso do commercio, para a Linha de Tiro da U.M.C. Para essa cerimônia cívica, S. Excia.; commissão da bandeira e demais pessoas, postaram-se nas escadarias da Igreja Matriz, em cujo alto empunhava o estandarte pátrio a madrinha dos atiradores de Pederneiras, senhorita Sebastiana Mendes, sobrinha daquelle cavalheiro que foi o maior doador naquella offerta. Em frente à bandeira postara-se perfilada essa Escola de Tiro de Guerra, commandada pelo seu instrutor, o Sargento Severino Ferreira de Oliveira; na ala direita do Jardim estendia-se a Companhia de Guerra com a secção da banda de música da Força Pública; mais abaixo, nessa mesma posição, estavam formados os Escoteiros com a sua banda de música, tendo à sua direita as bandas municipaes de Bocayuva e a local; em frente à Matriz e pelas alamedas do Jardim, o povo deixava, satisfeito, transpparecer a sua jovial alegria por tão feliz acontecimento.
Feito o religioso baptismo do “auri-verde pendão da nossa pátria”, pelo Reverendíssimo Vigário da Paróchia, usou da palavra o tribuno Dr. Ubirajara de Oliveira, e, em nome da commissão doadora, fez entrega do “trophéo sagrado que os jovens soldados deveriam guardar com carinho e amor”. Salientou, em palavras de fulgurante poesia, o papel que lhes era reservado no seio da sociedade e mostrou, numa comparação bellissima, o valor de cada um dos nossos atiradores quando no cumprimento sagrado dos seus deveres cívicos e patrióticos. Depois de realçar a grandeza da offerta à Linha de Tiro da U.M.C., por intermédio da commissão organisadora, ali representada pelos srs. Alfredo Mendes da Rosa, Lucilio Coelho de Oliveira, Dr. Saldanha Junior e Sargento Severino Ferreira de Oliveira, o fulgurante orador das ruas, numa comparativa encantadora de patriotismo, disse:”Soldados do Tiro de Guerra! A festa da comarca que hoje se realisa em Pederneiras debaixo do maior regosijo popular, é a festa da Justiça! E assim como esta dama dos olhos vendados tem nas mãos uma espada com que dirime as contendas, vós, jovens atiradores, também tendes uma espada com que fazeis ser respeitado o brio da nossa nacionalidade! E este estandarte querido que ides receber das mãos dos vossos concidadãos, deveis guardal-o com usura no estuário dos vossos corações de moços! E se um dia, que Deus não permitta, do campo de batalha onde for levado em desaffronta a algum ultraje ao Brasil, elle voltar em farrapos e coberto de sangue, deveis amal-o ainda mais porque esses farrapos e esse sangue, representam a galhardia patriótica dos que tombaram e luctaram em sua defeza! Porque defender esse trophéo que a brisa pederneirense beija e balança, é defender a vós mesmos: Elle representa o coração da Pátria”. Esta bella oração fallada do nosso redactor chefe, causou optima impressão e foi coroada de uma salva de palmas.
Em seguida, o jovem atirador Paulo Alves da Silva Telles Filho, agradeceu em nome de seus collegas, sendo também ovacionado pelas phrases simples e sinceras, com que agradeceu aquella querida dádiva, tendo, ao terminar, um gesto de elegante civismo num beijo que depositou no pavilhão nacional. Idêntico gesto de patriotismo tivera o cirurgião dentista Lucilio Coelho de Oliveira, quando passou a bandeira para as mãos da madrinha dos jovens atiradores. Entregue o estandarte brasileiro à guarda de honra da Linha de Tiro, foi prestada imponente continência à bandeira pela Força Pública; pelos Escoteiros e pela Linha de Tiro; sendo o seu instructor felicitado pelos srs. Dr. Secretário da Justiça e Coronel Dias de Campos, commandante geral da Força Publica do Estado. Foi este, dizemos sem receio de contestação, o acto mais solemne e mais brilhante dos festejos realisados.

A Installação da Comarca

Terminada a solemnidade da entrega da bandeira aos atiradores, e depois de serem tirados alguns films nesse local, o Dr. Secretário da Justiça seguiu, em companhia do Sr. Prefeito Municipal e da sua comitiva, para o Castello Furlani, onde almoçou e ficou em palestra até a hora de ir para o Grupo Escolar, onde foi realisada solemnemente a installação da Comarca.
Às 2 horas da tarde, precisamente, S.Excia. abria a sessão solemne lendo para esse fim uma oração allusiva ao acto, entremeada de altos conceitos jurídicos, provando o seu farto conhecimento intellectual e pratico sobre a justiça, mostrando o trabalho perseverante e patriótico do Presidente Julio Prestes em tudo que diz respeito ao progresso moral e social do Estado de São Paulo. Terminado esse discurso, que agradou sobremaneira, S. Excia., em nome do Governo do Estado, declarou installada a Comarca de Pederneiras, ouvindo-se por essa occasião uma grande ovação à S. Excia., ao Presidente Julio Prestes; e a todos que trabalharam para a realisação desse ideal; rompendo as bandas, ahi presentes, o Hymno Brasileiro, e sendo soltado aos ares centenas de foguetes e queimada uma bateria de morteiros com 21 tiros. Durante a sessão da installação, fez diversas evoluções sobre a cidade e, principalmente, sobre o Grupo Escolar onde evoluiu em pequena altura, um avião da Força Pública. Installada a Comarca, o Dr. José Augusto de Lima, Juiz de Direito, para aqui removido, leu uma bella peça oratória referente ao acto e a ação da Justiça em todos os casos de direito, salientando-se como profundo analysador da literatura criminal. Terminada a sua peça oratória que foi muito applaudida, S. Excia. empossou os serventuários, nomeados com a creação da comarca, nos seus respectivos cargos. Em Seguida, orou o Deputado Hilário Freire que também recebeu uma grande salva de palmas ao terminar.
Terminada a cerimônia da installação, foi inaugurado no salão nobre do Grupo Escolar o retrato do Dr. Julio Prestes, fallando nessa occasião em nome da Instrução Pública, o sr. Professor Paulo Monte Serrat, Inspector Escolar deste districto. O seu discurso foi um verdadeiro hymno cantado às virtudes intellectuaes e moraes do illustre homenageado. Foi um agradecimento sincero a tudo quanto o patriótico governo do Dr. Julio Prestes tem feito em prol da instrucção em nosso Estado. Talentoso tribuno, soube S.S. tecer com inteligência, immagens fulgurantes em torno de judiciosas razões de ordens superiores sobre a nossa vida e os nossos grandes homens, recebendo, por isso, uma grande ovação ao finalisar a sua magnífica oração. A esse discurso, o Dr. Secretario da Justiça, em nome do Governo, respondeu num bem feito improviso.
Após estas cerimônias, foi feita na rua Humaytá (Hoje Dr. Hilário Freire) esquina da Rua Benjamim Monteiro, a
Inauguração da Placa “Dr. Hilário Freire”

Descoberta a placa “Dr. Hilário Freire” pelo Dr. Secretário da Justiça, fallou em nome do povo, auctor daquella homenagem, representando pela nossa municipalidade, o distincto advogado Dr. Ubirajara de Oliveira que interpretou com raro brilhantismo o pensamento do nosso povo, naquelle acto, agradecendo o homenageado.


-----------------------------------------
Fonte: Arquivo Histórico – Centro Cultural Izavam Ribeiro Macario.

Pesquisas: Rinaldo T. Razuk.

Actualizado em Segunda, 04 Janeiro 2010 21:20  


Estatísticas

Membros : 5
Conteúdo : 66
Favoritos web : 6
Visualizações de conteúdos : 400957

Galeria de Imagens