Baú de Memórias

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

Eliazar Rodrigues Braga

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Eliazar Rodrigues Braga

Eliazar Rodrigues Braga nasceu em Monte Santo, Minas Gerais, filho de Manoel Rodrigues Braga e Maria Jacinta Rodrigues Braga. Com dezessete anos veio para o estado de São Paulo, fixando residência em Bauru. Casou-se com Felicíssima de Moraes na Igreja de Fortaleza (Piatã) e cinco anos depois veio para São Sebastião da Alegria onde desbravou terras e formou fazendas. Tomou parte na campanha que culminou com a criação do município, e fez parte da Câmara Municipal em 1895, quando conseguiu a edificação da Cadeia Pública (situava-se na Travessa Anchieta). Cuidou da abertura de estradas e vias públicas urbanas, sendo reeleito vereador em 1897 e em 1899. Quer como chefe político de grande influência, quer como vereador no decorrer de quatro legislaturas, Eliazar Braga realizou obras notáveis. A sua atuação vigorosa foi decisiva na vida do município. Empenhou-se também pela criação da comarca com a mesma veemência com que o fazia Cel. Coimbra. Continuamente viajava a São Paulo a serviço do município, fazendo sempre às suas próprias expensas, conseguindo a construção da ponte de concreto da Avenida Tiradentes, do Matadouro Municipal, ajuda na construção do primeiro templo de São Sebastião, a iluminação elétrica através da Cia. Paulista de Força e Luz, que lhe valeu a mais retumbante consagração popular por ocasião da inauguração desse melhoramento em sua antiga residência à Rua l5 de Novembro, juntamente com o prefeito Cândido de Camargo Serra. Ao embarcar certa vez em 1918, declarou solenemente: “Não voltarei sem o decreto de criação da comarca de Pederneiras”. Na capital, como a política dominante estava determinada a não contrariar a oposição dos jauenses, o Governo facultou a Eliazar Braga “que pedisse qualquer outra coisa, que seria imediatamente atendido”. – “Quero o Grupo Escolar”, foi a resposta. Fez a doação do terreno, que era seu. Escolheu a melhor das “plantas” existentes na Secretaria de Obras. Naquele mesmo ano a construção foi iniciada e a 22 de março de 1920 foi baixado o decreto que criava o Grupo, e a 29 de abril era festivamente inaugurado com 12 classes e 477 matrículas, sendo nomeado primeiro diretor o Prof. Antonio Arruda Ribeiro. Em Decreto Estadual de 20 de fevereiro de 1940, resultante de representação do Prefeito Mario de Barros Camargo, o estabelecimento recebeu o nome de seu benfeitor. Em janeiro de 1986 por ato do Governador André Franco Montoro, foi tombado, designando-o Patrimônio Histórico.

Eliazar Braga faleceu com 76 anos de idade e foi sepultado nesta cidade, a 12 de julho de 1923. Eliazar Rodrigues Braga e Felicíssima de Moraes Braga tiveram oito filhos, sendo eles Eliazar Braga Filho, Alfredo, José, Olímpia, Ruth, Hermantina, Sebastião Braga que foi prefeito de 1926 a 1928 e Emilia Braga, casada com Cândido de Camargo Serra, prefeito de 1909 a 1919.

Texto de referência: Sahid Miguel Maluf – Folha de Pederneiras – 13/3/1949.

Pesquisa: Rinaldo Toufik Razuk.

Actualizado em Terça, 05 Janeiro 2010 01:03  


Estatísticas

Membros : 5
Conteúdo : 66
Favoritos web : 6
Visualizações de conteúdos : 400973

Galeria de Imagens