Baú de Memórias

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

Letos

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Os Imigrantes Letos no Brasil

A imigração leta (ou letã) no Brasil teve início em 1890, quando as primeiras 25 famílias partiram de Riga (capital da Letônia) e chegaram a Laguna – Santa Catarina.
No Estado de São Paulo estabeleceram-se em Nova Odessa e Jorge Tibiriçá ou Corumbataí (1906), Nova Europa (1907), Periquera-Açu (1910), São José dos Campos (1914) e Varpa (1922). Os brasileiros de origem leta somam hoje cerca de 20 mil pessoas, constituindo a maior comunidade leta na América do Sul.
Fonte: Embaixada do Brasil em Estocolmo (Cumulativa com Riga).

 

Os Imigrantes Letos em Pederneiras

 

Cristiano Pelusch partiu de Riga nos anos de 1920 fixando-se em Santa Catarina, mudando-se para Nova Odessa.
Seu filho Carlos Pelusch a esposa Maria Saulites e as filhas Mirian, Rute, Hilda e Nanci transferiram residência para Pederneiras em 1943 adquirindo o Sítio São João dos Patos.
Rute permaneceu em Pederneiras e casou-se com Miervaldo Bember, filho de Roberto Bember. (veja Família Bember).
Carlos Pelusch foi um dos fundadores da Igreja Batista de Pederneiras.
- -- - - - - - - - - - - - - -- - -- - - - - - - -- - -
João Gruntman chegou ao Brasil em 1893 radicando-se em Blumenau, Santa Catarina.
Seu filho único, Augusto Gruntman casado em primeiras núpcias com Olga Puk tiveram seis filhos: Artur, Geni, Ricardo, Roberto, Elza e Marta. Três deles, Artur, Ricardo e Roberto mudaram-se para Pederneiras em 1944, mas apenas Roberto permaneceu no município, adquirindo o Sítio Capoeira Grande em Itatingui, onde produzia milho, hortaliças e avicultura juntamente com seus filhos Ronaldo e Roberto Gruntman.
Roberto Gruntman (pai) casou-se em Pederneiras com Janina Stepanovitz e foi um dos fundadores da Igreja Batista.
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Roberto Bember e Alida Bernard casaram-se em Riga e vieram para o Brasil em 1922 fixando-se na fazenda Bela Vista em Ipauçú.
Mudaram-se para a Colônia Varpa em Tupã, em seguida para Nova Odessa, Barra Bonita e finalmente Pederneiras, chegando em 1944 com os filhos e adquirindo o Sítio Bom Sucesso em Itatingui, onde produziam cereais e criação de gado até 1977, quando adquiriram a Chácara Aguinha.
Roberto e Alida Bernard Bember tiveram oito filhos: Rasma, Miriama, Rute, Laimon, Gonardo, Edvino, João e Miervaldo Bember.
Miervaldo se estabeleceu em Pederneiras onde se casou com Rute Pelusch e tiveram quatro filhos: Miervaldo Roberto, Marta, Nanci e Visvaldis Carlos Bember.
Roberto Bember e seus filhos, foram com as demais famílias letas, fundadores da Igreja Batista de Pederneiras.
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rodolfo Zahser partiu da Letônia e se estabeleceu na Colônia Varpa de Nova Odessa onde se casou com Ema Avot, imigrante leta que veio para o Brasil com sua filha Marta, tendo mais três filhos: Ester Lucia, Alfredo e Artur Zahser.
Mudaram-se para Pederneiras na década de 1940 adquirindo um sitio no bairro dos Sessenta onde além da plantação de café e cana, tinha criação de suínos e avicultura.
Ester Lúcia casou-se com Domingos Porfírio. Artur casou-se com Nair de Lima Zahser.

Pesquisas: Rinaldo T. Razuk.

Dados fornecidos pelos familiares.

Actualizado em Terça, 05 Janeiro 2010 01:00  


Estatísticas

Membros : 5
Conteúdo : 66
Favoritos web : 6
Visualizações de conteúdos : 441016

Galeria de Imagens